DVD gay grátis
tumblr_o8z4m2u0901s56a2uo1_1280

O professor da natação que confundiu minha cabeça

tumblr_o8z4m2u0901s56a2uo1_1280

Era maio do ano passado, eu estava no primeiro ano do ensino médio. Desde pequeno eu faço natação, sempre gostei de nadar, e até me destaco um pouco na academia que eu pratico o esporte — Uma das partes legais era que meu melhor amigo fazia natação comigo. Nossas família são bem próximas, então todas as terças e quintas, ele ia na minha casa e íamos juntos pra lá.

Estávamos a um mês das provas bimestrais, então eu e meu amigo aproveitávamos essas terças e quintas pra estudar em casa. E essa terça não foi diferente, meu amigo veio conversar no intervalo comigo:

– Erick, a gente vai estudar na sua casa né?

– Sim sim

– Se bem que a gente não ta indo mal na matéria

– É, a gente fica no note qualquer coisa

O meu amigo Vitor era melhor que eu nas matérias, mas eu era bem melhor que ele na natação, ele me ajudava nos estudos, só que eu sempre ficava na média.

Até então eu me via como bi, mas nunca cheguei a contar pra ninguém, eu conseguia conviver com isso — inclusive eu gostava de uma garota, mas nesse primeiro ano do médio ela tinha mudado de colégio, a gente mantinha contato, mas não era a mesma coisa.

As aulas foram bem simples hoje, então chegou a hora de eu e o Vitor irmos para minha casa — Quando a gente chegou, a gente foi almoçar, e durante o almoço, o Vitor tinha me contado da foto que a recepcionista da academia tinha postado no face com o professor novo de natação:

– Ele é bem novo, o nome dele é Pedro

– Eu nem sabia que a gente ia ter um professor novo- Eu nem estava muito interessado nisso, fui ver o facebook da garota que eu gostava — E eu fiquei impressionado, ela estava namorando, e nem tinha me contado nada, me fez de trouxa..Eu desanimei, só que o Vitor tentou me animar:

– Relaxa Erick, tem tanta gente por aí

– Ah Vitor, ela nem tinha me contado, eu achava que ela ainda gostava de mim…

– Mas deixa ela pra lá, vamo estudar logo

A gente deixou a louça pra lavar depois e fomos no meu quarto estudar, a matéria era relativamente fácil, o Vitor deu uma lida básica e já estávamos sabendo de tudo; o Vitor sugeriu que ele lavasse a louça, por causa do almoço:

– Deixa de ser bobo Vitor

– Não, pode deixar que eu lavo.- Eu me senti culpado, mas não insisti. Eu fui no facebook e fui fuçar o perfil do professor que o Vitor tinha falado — E logo a foto de perfil dele era ele na praia, ele tava de sunga, com um malão marcado, o corpo era musculoso, mas não exagerado, ele tinha uns pelos no peito e na barriga, e a pele dele brilhava por causa da água. O cabelo e a barba dele se completavam e era a coisa mais linda que eu já vi, o sorriso era branco  e bem aberto, só não conseguia ver os olhos pelos óculos escuros — Eu fiquei de pau duro na hora, aquele homem me encantou, eu fechei a porta e me sentei de volta pra ver mais fotos dele — Todas elas tinham algo que me deixavam excitado, então eu aproveitei que o Vitor foi tomar banho e resolvi bater uma, eu tirei minha bermuda e minha cueca e fiquei sentado na cadeira do computador.

Eu comecei em um ritmo devagarzinho, cuspi um pouquinho na cabeça do meu pau e fechei meus olhos — Imaginar aquele homem me comendo, me deixou com muito tezão, minhas bolas batiam na minha mão enquanto eu socava de cima pra baixo.

Eu enfiei meu dedo no cu, e me dedava no mesmo ritmo da punheta, fiquei uns 15 minutos me masturbando, e aí que eu agradeci pelo Vitor demorar tanto nos banhos.

Gozei na minha barriga e no meu peito, e me vesti de volta antes que o Vitor voltasse, eu resolvi tomar um banho também, depois do banho nós ficamos mais umas horas conversando e jogando no videogame, até chegar a hora da natação.

A gente cumprimentou a recepcionista e fomos nos arrumar pra nadar, e então quando entramos — lá estava ele, o homem que não saia da minha mente, a voz dele combinava com o corpo, e só de ouvir a voz eu me hipnotizei:

– Olá garotos, eu sou o professor Pedro, e hoje a gente vai ter uma aula de resistência, pra avaliar o desempenho de vocês – O que eu faria? Não conseguia me concentrar direito e não queria fazer feio — Mas fui nadar mesmo assim…..E deu certo, nadei bem inclusive, mas precisava sair mais cedo, eu tinha que aliviar de novo; tenho que lembrar que eu sou adolescente e estou sempre assim.

Eu fui pro vestiário e me sentei numa espécie de banquinho de piso — E comecei a me masturbar daquele jeito apaixonado, só que o professor Pedro veio ver o que estava acontecendo comigo, eu parei na hora, mas ele ainda me viu nu e de pau duro — Devo dizer que eu não me sentia feio, meus músculos não eram exagerados, não tinha pelos, meu cabelo parece com o cabelo do Alex Turner, inclusive meu pau era maior que a média.

Pode me dizer que eu fiquei louco, mas eu jurava de pé junto pra mim mesmo que o professor ficou de pau duro e desajeitado me vendo correr pro chuveiro respondendo que eu estava bem — Minha mãe levou o Vitor pra casa, e eu fui com ela pra nossa, não consegui jantar pensando na possibilidade de estar apaixonado pelo professor Pedro, e acabei indo dormir cedo naquele dia…

Era quarta-feira já, e eu não tinha dormido direito por causa dessa história do meu professor de natação. Eu estava com bastante dor de cabeça e pedi pra ficar em casa, minha mãe sabia que eu não estava mentindo, já que eu não sou de faltar as aulas — Fui tomar café, mas não estava conseguindo comer nada, e o que me deixava aflito era o fato de eu poder estar imaginando tudo aquilo que eu vi, e estar me prejudicando por isso — A mesa estava posta na sala de jantar, e eu peguei meu celular ali pra dar uma olhada no facebook, achei meu professor Pedro lá, pelo perfil do Vitor, e resolvi fuçar o perfi dele.

“Namorando”, bom, realmente eu devia estar imaginando aquilo tudo, o que me deixou chateado, mas aliviado ao mesmo tempo, já que essa história estava ‘passada a limpo’. Eu adicionei o meu professor e resolvi tomar meu café, já que estava mais tranquilo sobre o assunto.

Umas horas depois ele me aceitou e me chamou no chat, o que me surpreendeu:

– Oi Erick, tudo certo?

– Tudo certo professor, e vc?

– Tudo sim, vc e o Vitor vão na aula amanhã? Preciso falar com os dois

– Acho que sim professor, não sei dizer se o Vitor vai ou não.- Eu fechei a conversa sabendo que ele ia querer falar da competição que íamos ter em julho.

 Lá pelas 10:00, o Vitor veio conversar comigo pelo Whats:

– Guri, se não vem pra aula?

– Não piá (gíria de curitibano), to com dor de cabeça.- O Vitor sabia que tinha algo de errado comigo, desde criança ele me conhece.

– Hm, depois a gente se fala Erick.

Ele tinha ficado ofline tão rápido, que eu nem consegui responder o ‘tchau’ dele — Fiquei umas duas horas deitado ouvindo umas músicas calmas e pensando como eu ia contar pro Vitor o que tava acontecendo comigo, isso SE eu contasse. Até que meu celular recebeu outra notificação, e quando eu fui ver era o professor Pedro no Whats, dessa vez:

– Oi Erick, peguei seu número com o Vitor pra gente se falar, vc se importa?

– Não professor, imagina.- Ele queria mesmo meu whats, nós tínhamos acabado de se falar no facebook.

Eu não quis almoçar naquele dia, tava determinado a contar pro Vitor o que tava acontecendo comigo, eu foquei no computador até chegar o horário dele chegar em casa e chamei ele:

– Vitor, se ta aí?

– Oi Erick, desculpa hoje mais cedo

– Que nada, relaxa, Vitor…

– Fala Erick

– Eu tenho uma coisa pra te contar..

– Nossa, pode me falar piá

E foi aí que eu parei por causa de uma coisa que me surpreendeu mais ainda, eu tinha recebido uma foto do professor Pedro, mas era uma foto dele, ele estava pelado no banheiro, o abdômen dele era marcadinho e tinha alguns pelos, o peito era malhado e com pelos também, mas o pau dele — O pau dele era lindo, as bolas eram grandes, os pelos eram aparadinhos e cuidados, combinavam com as coxas grossas daquele homem — E em seguida ele me mandou:

– Meu Deus, desculpa Erick, era pra mandar pra minha namorada, perdão.

– Ok professor o.o’- Eu não sei não, mas se aquela foto era pra namorada eu não ia desperdiçar se veio pra mim, eu deitei na minha cama olhando pra aquele pau lindo olhando pra mim e comecei a me masturbar, imaginar que aquilo não tinha sido sem querer só me deu mais tesão, e eu me dedei no ritmo de uma música calminha, as minhas bolas batiam na minha mão cujo eu me dedava, e fiquei ali olhando pro meu professor enquanto fazia — Eu gozei em jatos aquela hora, inclusive sujei meu celular, e quando eu fui limpar, me lembrei que tinha esquecido de falar com o Vitor:

– Piá, se ta aí?

– Erick?

– Foi mal piá, tava vendo umas coisas aqui no computador.- No outro dia, era uma quinta feira e o Vitor ia pra minha casa, pra gente ir na natação depois, mas ele tinha dentista, então acabei indo pra natação sozinho; já no vestiário, o professor Pedro veio se desculpar comigo, dessa vez ele usava um shortinho de malha e uma camiseta de manga curta, mas não aparentava usar cueca, e aquilo me fez vontade de agarrá-lo ali mesmo:

– Erick, desculpa por ontem, eu ia sugerir pra vcs, pra vcs começarem a treinar comigo pela competição, gosto muito da sua técnica, só preciso que você veja com o Vitor.

– É-é claro professor.- Eu sorri pra ele, e quando ele se virou eu vi a bundinha deliciosa dele marcada no shorts.

Continua … 

Já viu?




17 comentários

Add yours
  1. Morsolix

    No enunciado eu pensei que era para fazer comentário sobre o pseudo conto sobre o professor de natação. Se for sobre o conto,eu digo;porque cargas d’agua esqueceram as características do que seja um conto? Que se compõem de introdução,personagens,tempo e espaço.Começo,meio e fim.História curta,limitada e o climax. Não precisa de muitos personagens e dispensa diálogos. Tudo o que “isto não é”.Os diálogos se tornam cansativo, e jamais o conto deve ser transformado em partes,se assim o for,não é conto e sim uma leve e pálida novela.

  2. Universitario

    O cara faltou o treino pra ir ao dentista? Ao DENTISTA? Denovo essa história de dentista kkkk clichê demais. E a foto nua que o professor mandou sem querer? Aiai
    To querendo ser chato não, mas falta criatividade na hora de inventar uma história viu, não obstante, dá para, ainda que minimamente, aguçar nossa imaginação…

  3. Rodrigo Sabih

    Gostei do conto, pois me identifiquei pq fiz natação muitos anos de minha adolescência e ficava sempre de pau duro vendo meus colegas com as sungas marcando seus paus. Porém não dei a sorte de ter whats na época pra trocar nudes ou ter um professor magya.
    No mais o conto me pareceu real, mas diria que não apressasse tanto os acontecimentos. Enriqueça com mais detalhes e não tenha preguiça de escrever as partes, pois é isso que faz um conto ficar bom.

    Skype: [email protected]

  4. Alex

    Não aguentei continuar lendo não… desculpe por quem fez essa história, mas nada disso faz sentindo. Tem muito erro de português e as coisas acontecem muito rápido gente. Enfim, boa sorte na próxima.


Deixe seu comentário