DVD gay grátis
marcelo-freixo

Propostas para comunidade LGBT no Rio de Janeiro são referência nesse segundo turno

marcelo-freixo

Antes do primeiro turno, o KINGuys resolveu fazer uma postagem pedindo que todos vocês pensassem bem nos candidatos que iriam votar no primeiro turno. Levando em conta não só a qualidade do político, mas também suas propostas para a proteção e promoção dos LGBTs em diversas áreas, seja de inclusão, abertura do mercado de trabalho, leis rígidas de combate a LGBTfobia e entre tantos outros.

Para o segundo turno resolvemos nos engajar mais nessa questão política e ir atrás de todos os candidatos das 18 capitais brasileiras que terão segundo turno, para expor a vocês quais são suas propostas para que possamos viver numa sociedade melhor pelos próximos quatro cidades.

Porto Alegre

porto-alegre

Nelson Marchezan Jr. (PSDB) – Em “Respeito à Diversidade” – Uma das principais virtudes de Porto Alegre é sua diversidade. Somos formados por dezenas de origens, credos, cores e crenças. Respeitar à diversidade de raça, cor, religião, ou opção sexual é um sinal evidente do amadurecimento de uma sociedade. Combater a discriminação, e assegurar o direito de todos se manifestarem livremente, são compromissos que assumimos com a nossa cidade.

Sebastião Melo (PMDB) – Nada.

Florianópolis

florianopolis

Ângela Amin (PP) – Angela vai criar o Centro de Referência em Direitos Humanos, destinado à vítimas de preconceito, discriminação, intolerância, abusos e maus-tratos, negligência e abandono. O Centro vai incluir atendimento multidisciplinar feito por assistente social, psicólogo e defensor público, além de programas de capacitação e programas de reabilitação psicossocial, nas áreas da educação, formação para o trabalho, atenção em saúde mental, empregabilidade, geração de renda, entre outros. […] Serão público alvo do Centro de Referência em Direitos Humanos: Crianças e adolescentes, idosos, pessoas LGBT, pessoas em situação de rua, pessoas com deficiência, pessoas atingidas por hanseníase, catadores, vítimas de intolerância religiosa, de preconceito racial, indígenas, populações quilombola, mulheres vítimas de violência e preconceito, trabalho escravo, pessoas em vulnerabilidade social e econômica, beneficiários de programas sociais, egressos do sistema prisional, profissionais do sexo, refugiados ambientais, vítimas de xenofobia, pessoas em sofrimento psíquico, população carcerária e familiares, proteção a testemunha.

O nome social será garantido em todos os serviços públicos de Florianópolis. Transgêneros e transexuais poderão optar pelo uso do nome social no preenchimento de formulários, fichas de cadastro e outros instrumentos que precisem da identificação pessoal. Dignidade e respeito à identidade de gênero de cada cidadão e cidadã da nossa cidade.

Angela e Rodolfo [seu vice] vão criar programas educativos de inclusão, convidando a refletir sobre práticas atrasadas, como racismo, homofobia e bullying. Entre as ações, serão eliminados conteúdos discriminatórios, além de ensinar às crianças sobre o respeito às diferenças. Investir na formação continuada de servidores públicos sobre direitos humanos. Estimular a produção do conhecimento, pesquisas escolares, concursos de redação e trabalhos acadêmicos sobre relações sociais e discriminação. Criar o Selo Escolar de Superação do Preconceito e da Discriminação, incentivando e valorizando a prática escolar, envolvendo alunos, educadores, funcionários, servidores e comunidade, na superação de todo tipo de discriminação.

Garantir e incentivar eventos e debates para a promoção da igualdade e o fim de práticas de discriminação, como por exemplo a Parada da Diversidade de Florianópolis.

Gean Loureiro (PMDB) – Em “Cultura” – Promover programas e ações que assegurem o acesso aos bens, serviços e produtos da cultura, e a liberdade de expressão de grupos minoritários e comunidades em situações de exclusão social ou de vulnerabilidade, ou ainda que envolvam questões de gênero, orientação sexual e etnia.

Curitiba

curitiba

Rafael Greca (PMN) – Nada.

Ney Leprevost (PSD) – Nada.

Rio de Janeiro

rio-de-janeiro

Marcelo Crivella (PRB) – Mesmo com um passado recheado de homofobia acentuado por um radicalismo religioso bastante comum em grande parte da igreja evangélica, o KINGuys analisou o plano de governo do candidato, entrou em contato com sua campanha na tentativa de uma resposta acerca de alguma proposta aos direitos LGBT, mas sem nenhuma surpresa não tivemos retorno, até porque, a algum tempo o bispo vem fugindo do debate com qualquer um que lhe critique. Vale lembrar que Crivella recebeu apoio de Flávio Bolsonaro e desde o começo da campanha, talvez da sua carreira, recebe apoio da família Garotinho que os cariocas conhecem muito bem.

Marcelo Freixo (PSOL) – Nosso objetivo é superar o atual modelo de cidade, baseado na destruição ambiental, na desigualdade social, na concentração de riqueza, no patrimonialismo, no racismo, no machismo, na homo/lesbo/bi/transfobia e no fundamentalismo religioso. O presente documento apresenta uma plataforma de ações, ampla e transversal às políticas setoriais, para garantir a participação popular, promover a justiça socioambiental e defender as liberdades daqueles que são oprimidos em razão de sua classe, gênero, raça, idade, sexualidade, religião, corpo ou cultura. Acreditamos, assim, que outra cidade é possível!

Promover os direitos LGBT e o acesso igualitário da população LGBT à administração pública, assim como desenvolver políticas públicas para o combate às práticas lesbo/homo/bi/transfóbicas, à violência lesbo/homo/bi/ transfóbica e a todas as formas de discriminação contra a população LGBT; Garantir a laicidade do Estado, em todas as suas instâncias e, em particular, na educação pública, a não ingerência das igrejas nas políticas públicas, a liberdade de crença e de não-crença e o pleno exercício dos direitos de todas as comunidades religiosas, assim como dos ateus e agnósticos, sem discriminação ou privilégios de qualquer tipo;

Implementar um Plano Municipal de Políticas Igualdade de Gênero, garantindo a participação ampla, direta e descentralizada da sociedade ao longo de todo o processo de elaboração e implantação; Implementar um Plano Municipal de Políticas LGBT, garantindo a participação ampla, direta e descentralizada da sociedade ao longo de todo o processo de elaboração e implantação; Criar, reinstituir e/ou fortalecer os conselhos municipais de políticas públicas, em especial, os conselhos de Defesa dos Direitos Humanos (CMDDH), de Juventude (COMJU), da Mulher (CMDM), dos Direitos da População LGBT (CMLGBT), de Defesa dos Direitos do Negro (COMDEDINE), de Defesa da Criança e do Adolescente (CMDCA), dos Direitos da Pessoa Idosa (CMDPI) e da Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência (COMDEF), dando-lhes estrutura e capacidade de avaliação, consulta e deliberação sobre as políticas públicas de promoção, garantia e defesa dos direitos e liberdades dessas populações;

Belo Horizonte

bh

João Leite (PSDB) – Em “Cidade Cuidadora”, o candidato se compromete com “políticas de direitos humanos e inclusão”.

Alexandre Kalil (PHS) – Em “Respeitando nossas companheiras/os”, o candidato traz: o respeito às mulheres será valorizado dentro das escolas através de atividades que os orientem a falar mais sobre sexualidade e gênero.

Vitória

vitoria

Luciano Rezende (PPS) – Em “Cidadania/Direitos Humanos” – O desafio do nosso segundo governo será trabalhado a partir da necessidade de consolidar a cidade mais segura com ferramentas e mecanismos voltados à prevenção, pois entendemos ser de suma importância a ampliação dos serviços de mediação de conflitos diversos, promovendo a inclusão social por meio da convivência e sociabilidade, acesso cada vez maior à cultura, à comunicação, ao esporte e lazer, à saúde, à educação, ao trabalho e à participação cidadã, fortalecendo os vínculos familiares e comunitários. Contribuiremos para o fortalecimento do exercício da cidadania por meio da educação em direitos humanos. Promoveremos ações socioeducativas para enfrentar a violência doméstica, discriminação racial e por orientação sexual, realizando atendimentos em diferentes frentes: acolhimento à vítima de violência e discriminação, atendimento à outra parte envolvida, grupos reflexivos com autores de violência, intervenção direta nos casos noticiados nos territórios que apresentam maior índice de procura ao serviço de atendimento.

Amaro Neto (SD) – Apresentador do “Balanço Geral ES”, o candidato é da Igreja Evangélica e em recente entrevista ao Gazeta Online foi perguntado sobre o que faria contra o preconceito contra gays, negros e deficientes. Sua resposta? “Eu proponho um trabalho de educação cultural para a nossa cidade desde cedo. Para quebrar o preconceito a gente precisa informar as pessoas”. Para conferir é só clicar aqui. Por fim, gostaria de convida-los a assistir Amaro Neto dizendo o que pensa sobre transexuais.

Campo Grande

campo-grande

Marquinhos Trad (PSD) – Nada.

Rose Modesto (PSDB) – No seu plano de governo, a candidata primeira expõe alguns problema em Campo Grande referentes a comunidade LGBT – “Intolerância e desrespeito às inúmeras formas de diversidade sejam elas de gênero, sexual, raça ou religião, bem como ausência de suporte adequado para aplicação de direitos relacionados a estes segmentos sociais”. Para melhorar, ela elenca as seguintes propostas – 1) Reestruturar a rede de assistência social. 2) Capacitar e qualificar os trabalhadores das redes de assistência social. 3) Aproximar a prefeitura dos movimentos comunitários. 4) Garantir a todo cidadão informação sobre direitos humanos. 5) Banir da sociedade qualquer tipo de preconceito.

Cuiabá

cuiaba

Emanuel Pinheiro (PMDB) – Em outubro de 2015, o Deputado Estadual Emanuel Pinheiro publicou uma nota em seu site explicando os motivos pelo qual foi um dos grandes defensores da derrubada do decreto do governador Pedro Taques (PSDB-MT), que respeitava uma ordem do Governo Federal para que os estados criassem um conselho para discutir políticas públicas para a população LGBT. Segundo o próprio, “O decreto é inconstitucional. A Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos foi criada por lei. Por isso, qualquer órgão vinculado também depende de legislação aprovada pela Assembleia.” Leiam mais aqui.

Wilson Santos (PSDB) – Nada.

Goiânia

goia%cc%82nia

Íris Rezende (PMDB) – Em 2014, o Goiás 24 Horas publicou uma matéria interessante sobre o motivo pelo qual o então candidato a governador Íris Rezende foi acusado de “esconder” seu filho do programa de televisão que mostrava suas duas outras filhas, Ana Paula e Adriana. Sabem porque Cristiano Rezende foi “esquecido”? Ele é assumidamente gay. Leiam mais aqui.

Vanderlan (PSB) – Nada.

Aracajú

aracaju

Edvaldo Nogueira (PCdoB) – Elaborar diagnóstico socio-assistencial e socioterritorial para implementar políticas públicas com recorte étnico-racial, cultural, de gênero e de orientação sexual, através de equipes interdisciplinares específicas. Implantação de uma diretoria de Direitos Humanos para tratar da garantia de direitos ligados à igualdade racial, à população LGBTS, às comunidades, aos povos tradicionais, às crianças, aos adolescentes, e aos idosos, entre outros públicos. Garantir no conjunto das políticas públicas, o acesso aos direitos, serviços e benefícios à população, sem preconceitos e discriminações de qualquer natureza política, social, religiosa, étnica, sexual e gênero

Valadares Filho (PSB) – Nada.

Maceió

maceio

Rui Palmeira (PSDB) – Nada.

Cícero Almeida (PMDB) – Prevenção e Combate a Violência e Discriminação por Orientação Sexual e Identidade de Gênero;  Fortalecer as ações integradas entre as áreas da saúde e educação (municipal e estadual) objetivando a promoção da saúde de adolescentes e jovens, em especial a saúde sexual e reprodutiva;

Recife

recife

Geraldo Júlio (PSB) – Em “Direitos Humanos” – O Prefeito Geraldo Julio fundamentou sua gestão no fortalecimento de políticas públicas para promover e assegurar os direitos humanos – compromisso lastreado na história de luta da Frente Popular do Recife, no respeito e na afirmação da democracia. Esse trabalho ganhou vida com o fortalecimento e a criação da Secretaria da Mulher e de conselhos municipais, com a realização de atividades de fortalecimento sociopolítico, qualificação profissional e ampliação dos equipamentos municipais, assim como a expansão dos serviços na rede já existente. Dão corpo a essa política que começa a se estruturar o Centro Maria Julia e o Centro de Referência em Cidadania LGBT do Recife, equipamento especializado em prestar atendimento a vítimas de discriminação e violência ligadas à diversidade sexual.

João Paulo (PT) – Criar o Comitê Técnico da Saúde LGBT do Recife e implantar política de formação de trabalhadores para um melhor atendimento à população LGBT. Readequar os formulários/prontuários da saúde para garantir as especificidades da população LGBT. Estabelecer parcerias junto a instituições de ensino profissionalizante, público e privado, para a formação profissional voltada ao segmentos LGBT, considerando suas especificidades, em especial a população T (travesti e transexual). Garantir diálogo permanente com o segmento LGBT, retomando a realização das conferências e o funcionamento do Conselho Municipal LGBT. Fortalecer o Grupo de Trabalho e Orientação Sexual da Educação e implantar política de formação de servidores e trabalhadores da gestão municipal para criar a cultura do respeito à diversidade sexual e identidade de gênero, de forma a promover a não discriminação.

Fortaleza

fortaleza

Roberto Cláudio (PDT) – Em “Uma cidade com vida comunitária, com acolhimento e bem estar”, o candidato se compromete com: Desenvolvimento de ações que promovam a igualdade racial e à diversidade sexual nas políticas públicas do município de Fortaleza;

Capitão Wagner (PR) – O candidato respondeu “afirmou que estamos do lado das minorias, o público LGBT sempre será respeitado e vamos lutar por esses direitos.” E nos enviou seu plano de governo com as seguintes propostas – Criar o mapeamento de ocorrências homofóbicas no âmbito do município; 2. Criar os núcleos de combate à homofobia, que funcionará de forma articulada com outros serviços de combate às desigualdades e contará com advogados, psicólogos e assistentes sociais;

São Luís

sa%cc%83o-luis

Edivaldo Holanda Jr. (PDT) – Em “Fundamentos das Propostas de Governo 2017 a 2020”, o candidato propõe – “Democracia e Direitos Humanos como Valor Universal”.

Eduardo Braide (PMN) – Nada.

Macapá

macapa

Clécio (Rede) – Fortalecimento dos Fundos Municipais e das Instâncias de Controle Social: Implantar o Conselho Municipal de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos LGBT: Implantar o Conselho Municipal dos Direitos do Idoso; Promoção do atendimento humanizado para a população LGBT, informando e conscientizando toda sociedade, bem como profissionais da Saúde, trabalhadores e gestores do SUS sobre garantias ao atendimento considerando as especificidades da saúde dessa população; Em conjunto, implantar o Comitê da Saúde da População LGBT, com objetivo de planejar e articular políticas públicas relacionadas à Saúde; Fomentar a criação de Políticas Públicas em âmbito de saúde mental no Município que enfoque na prevenção ao suicídio para a juventude e a população LGBT;

Promover campanhas de enfrentamento da vulnerabilidade de crianças e jovens em razão da orientação sexual e identidade de gênero, promovendo o combate ao abuso e à exploração sexual, em parceria com os Juizados e Promotorias da Criança e do Adolescente e a visibilidade positiva da população LGBT; Criar protocolos de atendimento e encaminhamento de casos de violência LGBTfóbica recebidos aos órgãos competentes e à rede de atendimento para contribuir com dados e mapas sobre os casos em Macapá;

Gilvam Borges (PMDB) – Nada.

Belém

belem

Zenaldo Coutinho (PSDB) – Nada.

Edmilson (PSOL) – Mais cuidados serão ofertados durante todo o ciclo de Vida das pessoas, com atenção à saúde do trabalhador, negras e negros, indígenas, LGBT, pessoas com deficiência e aos que se econtram em situação de moradia na rua através das ações. Implantar em toda a rede ações de promoção, prevenção e atenção visando a saúde integral da população negra, LGBT, índigena, das pessoas com deficiência e dos moradores de rua.

As redes de proteção de direitos das Crianças e Adolescentes, Idosos, Juventude, Mulheres, LGBT, população de rua, Igualdade Racial, entre outras, serão organizadas e fortalecidas com vistas à prevenção e ao acolhimento em situação de risco e em prol da redução de danos; Dialogar com a cidade como uma comunidade de pessoas, entes, espaços e múltiplas identidades, sonhos e resistências são desafios que estão postos para serem superados nesta cidade que é única, porém diversa. O que propomos é a possibilidade de viver um cotidiano sem discriminação e preconceitos de qualquer ordem. Valorizar a diversidade sócio-cultural e enfrentar todas as formas de preconceito e discriminação através de política de direitos da mulher, do idoso, lgbt, negras e negros, pessoas com deficiência, povos indígenas e povos e comunidades tradicionais; garantia de direitos e implementação dos estatutos e outras normas e suas instâncias de formulação e controle social.

Criar Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, que assumirá algumas funções, antes sob responsabilidade da Secretaria Municipal de Assuntos Jurídicos, como um órgão voltado para a formulação de políticas específicas e estruturais para mulheres, juventude, negras e negros, indígenas, LGBT, religiosos, pessoas com deficiência e demais grupos sociais, com coordenações especificas dos movimentos evidenciando a decisão de reconhecimento e garantia de direitos em Belém.

Articular políticas para o segmento LGBT como orientação transversal para enfrentamento ao preconceito e para a defesa da livre orientação sexual assegurando direitos já conquistados. Implantar ações de atenção à saúde integral dos LGBT na rede; Realizar Formação continuada no âmbito do serviço público municipal evidenciando a transversalidade na formulação e execução de políticas públicas; Assegurar o passe livre para portadores de HIV/AIDS; Assegurar crédito e fomento para empreendedores LGBT; Apoiar as manifestações pela Cidadania LGBT; Apoiar atividades artísticas e culturais que estimulem a não homofobia;

Manaus

manaus

Artur Neto (PSDB) – No plano de governo do candidato à reeleição, Arthur Virgílio Neto não há nenhuma proposta para a comunidade gay em Manaus, todavia, durante seu primeiro mandato (agosto de 2015) aconteceu um fato bastante interessante envolvendo um projeto enviado por ele à Câmara de Vereadores. À época o prefeito enviou uma matéria para deliberação dos vereadores que concedia um assento ao movimento em defesa de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros (LGBT) entre os representantes da sociedade civil no Conselho Municipal da Juventude (CMJ).

A proposta rachou a base aliada do governo. Cinco se posicionaram contra, enquanto os outros 17 presentes, sendo três deles da oposição, votaram a favor do projeto.

Marcelo Ramos (PR) – Nada.

Porto Velho

porto-velho

Dr. Hildon (PSDB) – Nada.

Leo Moraes (PTB) – Em educação, o candidato promete “Institucionalizar programas que visem o pleno exercício da cidadania: educação ambiental, ética, educação para o trânsito, educação fiscal, educação sexual, combate à violência e as drogas.”

O segundo turno acontecerá no dia 30 de outubro, por isso vote, não fique em casa e jogue fora esse direito de votar, faça sua voz ser ouvida seja para protestar ou endossar o apoio a determinado candidato. A política e o Brasil precisam de você. O KINGuys não toma posições políticas, mas acreditamos ser fundamental para que vocês, eleitores, que irão às urnas nas capitais nesse domingo (30) possam conhecer mais sobre as propostas dos candidatos. Esperamos que essa postagem tenha sido útil.

Já viu?



24 comentários

Comente
  1. Ronoli

    Infelizmente o público gls em sua maioria apoia candidatos de extrema esquerda, socialistas. E o socialismo sempre perseguiu gays. Boate gay, site gay, bar gay, sauna gay, tem só no capitalismo. No socialismo instalado, não tem. A Rússia proibiu parada gay por 100 anos. Esse apoio gls ao esquerdismo é explicado pela velha tática da esquerda, de fortalecer as minorias para causar o caos na estabilidade social. Porém, depois de instalar o golpe socialista, os socialistas não estão nem aí para minoria, pois apenas as usou como massa de manobra. Descobrir se o que falo é verdade é fácil, verifique sobre países socialistas e produtos pra gay. O gay quando é bem informado e não cai em lábia esquerdista, sabe que quem os valoriza criando produtos e serviços para o público gls, é o capitalismo. Já temos grupos gays de direita que estão informando a verdade. Não vê quem não quer, ou quem é corrompido pela esquerda, recebendo dinheiro para dar apoio.

    • KINGuys

      Vamos lá:

      Primeiramente, nós não apoiamos ninguém. O intuito dessa postagem foi expor para o leitor que mora nas capitais onde terá segundo turno, qual é o melhor candidato para a comunidade, seja em Florianópolis, Belém ou até mesmo no Recife. Analisando as propostas, fica evidente que no Rio de Janeiro, mais precisamente na candidatura de Marcelo Freixo, as ideias se destacam principalmente quando você compara com seu oponente, um fundamentalista religioso que não tem coisas muito positivas a falar sobre a comunidade LGBT.

      Ninguém aqui está discutindo política econômica, de segurança ou de saúde pública, somos um site pornô gay e o nosso maior objetivo é fazer que sejamos respeitados e que o Estado tenha capacidade de nos dar amparo, até porque, a Constituição lhe obriga a fazer isso. Por fim, uma última coisa “o gay quando é bem informado” ele é como todo o cidadão – compara as propostas e vê o que é melhor para ele, esteja esse candidato em quais polo político. Ou você vai me dizer agora que o PP, onde se destaca em Florianópolis, é de extrema esquerda? Ou que o PSDB de Porto Alegre e Campo Grande seguem o mesmo caminho?

      Acho que você quem precisa se informar. De qualquer forma, eu agradeço pelo comentário e pela oportunidade de conversarmos e esclarecer alguns pontos.

  2. Ronoli

    Em nenhum momento eu disse que este site apoia ou não alguém. Eu disse que o público gls, no geral, apoia a esquerda. E demonstrei que a esquerda, sim, é inimiga dos gays. Entre um fundamentalista religioso e um socialista, o gay inteligente opta pelo religioso, pois os religiosos não querem fechar a boate gay, a sauna gay, o site gay. Já os socialistas querem.

    • KINGuys

      Sabe o que me deixa bastante assustado com essa sua visão? É que a comunidade LGBT estará satisfeita com uma boate, uma sauna ou um site gay abertos, a impressão que tenho é que somos tão superficiais e marginalizados que basta um pão e circo para calarmos a boca e ficarmos satisfeito com qualquer demagogo que aparece para governar a cidade.

      Se você der uma olhada, vai perceber que não precisa ser socialista para ter propostas aos LGBTs, repito – não acredito que o Marchezan esteja levando uma agenda socialista para Porto Alegre. Acredito ser extremamente perigoso quando generalizamos o fato de qualquer governo de esquerda seja “inimiga dos gays”, porque isso não aconteceu na Argentina durante o desastroso governo da Cristina Kirchner ou o grande apoio que Barack Obama, sim os democratas tendem à esquerda nos Estados Unidos, deu para o movimento quando a Suprema Corte permitiu que homossexuais pudessem casar em todos os 50 estados.

      Já avisei para todos aqueles que leem esse site e vem discutir coisas que não sabem – leiam, pesquisem, fiquem informados, porque ignorância não é bom para a sociedade.

  3. andre

    O pt destruiu o pais! precisa ser muito ignorante para votar nessa partido!
    PT, PC do B e PSOL, sao sempre as piores opcoes… piores ate que o pastor da universal!

    • KINGuys

      Primeiramente, o KINGuys não apoia ninguém, apenas dispusemos as ideias dos prefeitos que, a partir de primeiro de janeiro, governarão essas capitais pelos próximos quatro anos. Concordo com você que as decisões que o PT e do PCdoB quanto a economia são questionáveis, principalmente se você perguntar ao eleitor que mora no ABCD paulista, onde foi mais afetado pelo desemprego.

      Entretanto, nós temos que deixar umas coisas muito claras – qualquer, repito, qualquer candidato que tenha qualquer resquício de religião na sua bagagem e pior, tenha se recusado responder perguntas sobre o seu passado, como o Crivella vergonhosamente fez na última semana de campanha, pode ter certeza que é o pior candidato. Eu também não concordo com a sua posição de que “precisa ser muito ignorante para votar nessa partido!”, porque há um sentimento, principalmente se você for no interior da Bahia, de Alagoas, Santa Catarina ou do Amazonas, vai perceber que há uma população que até 2002 sempre esteve esquecida e, finalmente dada a devida importância.

  4. andré

    pensei em responder a altura, mas nos tempo atuais nimguem consegue ler ou ver a opniao dos outrso sem prejulgar! se voce acredita em uma politica liberal voce é atacado pelos conservadores, se voce é conservador é atacado pelos liberais, se é de direita voce é atacado com preceitos de pessoas de esquerda ( vide a reacao a cima com a #bolsonaro2018) e por fim se voce é de esquerda é atacado pelos de direita!
    No brasil ter opniao é motivo de ataques pessoais, se as pessoas continuarem nao aceitando a opniao dos outros, creio que o brasil corre risco de voltar ao coronelismo!
    Por fim gostaria de deixar uma reclamacao com o site, que deu-se tempo rebatendo minha opniao ( de forma bem clara e sem xingamentos – fato ate ai, compreensivel e imaginavel) mas que nao se opos as pessoas que feriram minha honrra me chamando de judeu que vota em hitler ou de “biscoitera do caralho” ( seja la o que isso signifique).

    • KINGuys

      Olá André,

      Primeiramente, eu gostaria de agradecê-lo por responder e discutir conosco sobre esse assunto, acredito ser muito positivo. Entretanto, reforço que ninguém aqui é liberal, conservador ou de esquerda, a única posição que o KINGuys possui é fazê-lo gozar sempre que possível. Nós não defendemos e também nem iremos lhe defender porque a única coisa que eu fiz aqui foi falar a favor do nosso trabalho e também esclarecer algumas coisas, não rebatemos nada.

      Se você se sentiu ofendido, acredito ser de bom tom que você mesmo se defenda. Nós não gostamos do Bolsonaro, muito pelo contrário, mas aprovamos o comentário porque liberdade de expressão é um preceito fundamental da Constituição brasileira.

  5. Thiago

    Se o PT destruiu o Brasil, foi com a ajuda do Crivella. Pois ele sempre esteve ao lado do governo, junto com seu partido, desde o início do 1º mandato do Lula. E até ontem era Ministro da Pesca da Dilma. Mas como é bandido, pulou fora da canoa quando viu que ela estava afundando.

  6. andré

    No meu ultimo comentario nao quis rotular o site como de esquerda, conservador ou liberal, apenas usei isso como exemplo. inclusive admiro a forma como esta conduzindo o post.
    Apenas discordo da frase ” Se voce se sentiu ofendido, acredito ser de bom tom que voce mesmo se defenda”, pois o site é o mediador do post, sendo assim, cabe a ele manter a ordem e o respeito entre as opnioes ( papel que o mediador exerce em um processo).
    O meu TCC da faculdade de direito , foi em 2014, e tratei com processos relacionados a politica na internet ( mais especificamente com difamacoes a partidos, pessoas de partidos… ) e no desenvolver dele me assustava diariamente com a quantidade de aberracoes que as pessoas falam para as outras na internet e que acabam em processos judicias.
    Por fim gostaria de me desculpar com os administradores por alongar nos comentarios e aproveitar o momento para elogiar os post do site ( de uma forma geral).

  7. Ariel

    Parabéns ao pessoal do KINGuys! Que maravilhosas a postagem e as respostas aos comentários dos usuários! Sem ataques gratuitos, sem partidarismo cego, sem maniqueísmo. Coisa difícil de ver atualmente, principalmente em postagens relacionadas a política. Parabéns!


Comente! Faz muita diferença para nós