DVD gay grátis
guitar-boy-620×400

Tinha namorada e me apaixonei pelo cantor do barzinho

A aventura é sobre o amor que tive aos 22 anos, o Gabriel que tinha 19 na época.

Aos meus 22 anos eu namorava uma garota,  vida de casalzinho típica,  sexo em casa, pipoca e filme. Rolava um shopping as vezes e quando sobrava grana íamos em bares da cidade. Eu me chamo Fernando, e em um dos bares que eu ia, tinha um muleque com seus 19 anos que tocava violão. Seu nome era Gabriel e eu me apaixonei por ele.

Gabriel era magro, corpo definido mas sem músculos. Devia ter 1,70 de altura no máximo , era um pouco mais baixo que eu. Branquelo, cabelos pretos, curtos mas com franjas e de sorriso largo. Que sorriso tinha o Gabriel.  Lembro bem na primeira vez que entrei em um bar e vi ele tocando, sentei na mesa de frente, minha namorada não gostou, era muito barulho, mas eu precisava ver aquele carinha de perto.

Depois que o descobri o bar em que ele tocava, virou meu preferido.  Por sorte, minha namorada também gostava do bar e do Gabriel tocando. Em vários shows e intervalos de shows eu conversava com ele. Muito carismático e atencioso sempre. Chegamos a depois de um show encarar doses de tequilas e ficamos mais amigos ainda.

Eu com 22 anos, magrelo, barba por fazer , cabelo comprido e sempre com rabo de cavalo.  Eu tenho 1,75 e lembro de um dia bêbados depois do show dele, Gabriel tirando sarro da minha altura, que homem precisa ser alto e tanto eu, quanto ele eramos baixinhos. Nunca me achei baixo, mas deixava o papo fluir.

Certo dia, ao final de um show Gabriel me chamou pra ir em outra festa que estava rolando. Eu e minha namorada topamos na hora e partimos com ele. Estrada a dentro na noite, rodamos uns 70 km até chegar em uma chácara. Estava rolando uma festinha fechada, e ele tocaria algumas musicas. Eu entraria na faixa e ainda ficaria na companhia do sorriso mais lindo que era o do Gabriel. A essa altura já estávamos muito íntimos,  brincávamos o tempo todo um com o outro , trocávamos mensagens e tudo mais.

Não demorou muito minha namorada na época com sono pediu as chaves do carro e foi dormir no estacionamento da festa. Ela não aguentava mais, só que estávamos de carona, tínhamos que esperar de qualquer jeito! Gabriel fez seu show e eu admirei o tempo todo. Aquele dia ele estava com uma camiseta branca linda, colada  no corpo dele e um jeans justo que marcava a mala. Ele tinha só 19 anos, mas também devia ter 19 cm hahahaha, era uma mala gostosa de olhar e eu pensava em cair de boca ali.

Entre uma música e outra Gabriel me olhava, piscava, sorria e continuava o show. Até então, era tudo brincadeira pra mim, eu o desejava mas não tinha notado nada da parte dele. Mas aquele dia tudo mudou!

Logo ao final do show Gabriel me perguntou onde estava minha namorada e eu contei que ela tinha ido dormir no carro, ele sorriu, chegou perto e disse “Oba, agora tu é só meu”. Eu ri, ainda achava que era brincadeira.

Tomamos umas geladas e ajudei ela a guardar os equipamentos, mas ainda não levamos para o carro. Lembro que ele me encarou e disse “não leva agora não, se não tua mina acorda”.  Ele queria mesmo ficar só eu e ele.

Normalmente em festas, Gabriel é sempre requisitado, todos querem atenção , pois é músico.  Mas esse dia tocamos no final da festa, todos estavam muito loucos , e dentro do camarim acabando de pegar algumas coisas do palco para as mochilas a verdade apareceu:

Gabriel – O Fernando! Pega esse microfone aqui kra …

Eu estava de costas e me virei rápido quando dou de cara com ele com a mão enfiada dentro da calça, segurando pau, sorrindo pra mim, com uma cara sacana sem tamanho

Gabriel – Vai, pega e guarda ele

Fernando – que porra de conversa é essa

Gabriel – hahahahaha to zuando , que medo é esse

fiquei em silencio , mas ele não

Gabriel – cara, eu já saquei tu e vc também já me sacou vai

Fernando – Saquei? Cara minha namorada ta no carro

Gabriel – dormindo mano, deixa ela lá, vamos ser rápidos, também to me arriscando porra

Por alguns segundos eu congelei, não ia para frente, nem para trás. Pareciam minutos eternos, mas eram segundos de pavor, de tesão. Minutos querendo entender o que era aquela iniciativa do Gabriel.

Gabriel deu um passo para trás, trancou o camarim. Abriu de vez a calça ,tirou a camisa e veio pra cima de mim.

– Rapidão eu preciso dar umas pegas em vc safado – disse Gabriel me olhando sorrindo

Ao mesmo tempo que ele tinha iniciativa, era tímido, olhava pro vazio, falava sem graça. Chegou perto de mim, beijou meu pescoço, sua mão escorregou em minhas costas, ele puxou meu pescoço, beijou novamente

– Quantas vezes já te abracei e senti esse perfume seu cara, que vontade disso que eu tava

– Eu tbm , Eu tbm

– Assumiu porra hahahahaha

– Vamo logo , to com o cu na mão de pegarem a gente

Toda esse papo foi em meio a beijos, abraços, o rosto lisinho dele esfregava na minha barba com força, senti seu pau duro roçar no meu, agarrei sua bunda com as duas mãos e puxei para esfregar mais for ainda nossos paus. Tentei botar a mão dentro da cueca dele e pegar o pau do Gá, mas não dava. Calça justa, quase quebrei a mão! Ele riu, abaixou a calça com força e sua rola enorme pulou pra fora. A mala dele não era a toa, era grande mesmo. Uns 20 cm fácil, branquinho, cheio de pelinhos, mas o saco raspado. Segurei ele pelo pau e puxei de volta, punhetava o Gabriel e beijava, agarrava. As mãos deslisavam por tudo, ele abriu minha calça e bateram na porta. Congelamos! Ele ainda massageou meu pau de leve e ficamos alguns segundos em silencio. Um sorria pro outro, com a respiração ofegante, bateram na porta de novo e eu gritei:

– Quem é?

– Sou eu amor, abre aqui pra mim!

Era minha namorada!  Senti o pau do Ga amolecer na minha mão, ele se ajeitou, fechou a calça eu me arrumei. Eu gritei pra ela:

– Gabriel ta se trocando pra ir embora, aguenta aí

Gabriel pegou uma camiseta na mochila, passou perfume, arrumou o cabeço e abrimos a porta ainda zonzos e sem entender tudo aquilo e pensando se algo estava dando bandeira. Minha namorada entrou, conversando, reclamando que estava cansada, se jogou em um puff do camarim, disse que queria ir embora .

Acabamos de arrumar tudo, levamos para o carro, o clima estava cheio de estranhezas. Um falava com o outro, mas tinha algo no ar, deixando tudo ainda com medo.  Quando fomos entrar no carro, minha namorada me abraçou, me deu um beijou e comentou:

– Nossa, vc tá com o perfume do Gá!

Eu em pânico sem pensar em anda, sou surpreendido pelo Gabriel

– É que a gente se pegou ali atrás agora, por isso

– hahahahahah como vocês dois são idiotas!

– Como assim amor vc conhece o perfume dele? Ta me traindo então?

– hahahahahha vamos embora vai

entramos no carro, Gabriel sorria pra mim feito bobo e eu pra ele. Fui pra casa e logo que cheguei no meu quarto o celular apitou, era uma mensagem do Gabriel:

– Vamos fazer isso em lugar seguro na próxima, nem deu pra  ver seu pau cara hahaha

Eu respondi em seguida

– Vamos sim, sou novo ainda pra infartar num camarim,mas eu vi o seu já e gostei hahaha

Continua…



12 comentários

Adicione o seu

Postar um novo comentário