DVD gay grátis
Jess-Fucks-Brent-Bareback-in-a-car

Peguei um playboyzinho bêbado e gostoso no meu carro

Jess-Fucks-Brent-Bareback-in-a-car

Aventura vivida na quinta-feira passada. Fui com alguns amigos a uma evento sertanejo aqui da minha cidade, evento esse muito movimentado, cheio de gente bonita… Meus amigos e eu compramos um camarote, dançamos e bebemos muito, até às 2 horas da manhã, quando decidimos ir todos embora, mesmo com um pós show, pois haveríamos de trabalhar no dia seguinte… Por esse mesmo motivo, procurei não beber tanto, apenas o suficiente pra sentir um enorme tesão me invadir assim que entro o meu carro e percebo a saída de muitos carinhas novinhos e gostosos daquele ambiente. Pensei comigo: Hoje a noite promete!. Então, passei a rodar, passando o pente fino pelas redondezas do show até que achei poucas presas, um viadinho procurando o mesmo que eu, e alguns grupinhos de carinhas que andavam por certo o caminho de casa até que num cruzamento próximo a uma praça, avisto uma figura andando meio que cambaleando, uma figura jovial, bem vestida com uma calça jeans bem talhada e despojada, com uma correntinha caída, camisa social branca bem colada ao corpo, aberta até a altura do peito de onde pendia uma grossa corrente de aço cirúrgico… Nem demorei pra parar ao seu lado.

Eu:_E ai?

Ele:_Tu é gay é? – Senti que ele estava bebido, com uma fala meio arrastada, mas era de fato um gatinho muito gostoso: Alto, com 1,80 mais ou menos, branquinho, rosto liso, olhos castanhos claros meio avermelhados (não sei se da bebida ou de outra coisa), boquinha e bochechas bem rosadinhas, magro das coxas grossas… Uma gracinha aquele cara, que aparentava ter seus 20, 21 anos…

Eu:_Gay? Porque? Você também está atrás de um é?

Ele:_Você é louco, é? Curto é buceta! Tá me estranhando?

Eu:_KKKKKKK Fica frio! Tô vendo que tu tá meio tomado e ai te oferecer uma carona… Mora longe?

Ele:_Lá pra baixo! Meus brotheres arrumaram umas piriguetes e não queriam vir embora e eu tava de toca, resolvi vir… E ai, rola?

Eu:_Rola, com certeza que vai rolar!

Ele:_A carona, né? 

Então Bruno (nome fictício) entrou no carro. Pronto! Primeiro passo dado! Chamo meu carro de marmita: Entrou dentro é comida na certa! No caminho, fui conversando banalidades, até chegar no ponto que eu queria.

Eu:_Cara, você vinha andando sozinho, em plena madrugada, tomado… Tem medo de encontrar um doido?

Ele:_Cara, cê é louco? Sou protegido!

Eu:_É, mas dizem que cu de bêbo não tem dono… Vai que tu ache um tarado!

Ele:_Fera, meu toba tem dono! Papo brabo… Quer me torar, porra? Porra é essa? Só porque tu tá me dando carona, não vou liberar minha rosca pra ti não, cara!

Eu:_Rsrssrs… Fica frio! Nem pensei em te enrabar não, cara! _Falei isso, pousando minha mão em sua perna, próximo a sua virilha. Ele apenas me olhou de canto de olho, mas percebi que ele suspirou e deixou rolar. Assim, parti logo pro ataque certeiro, enchendo minha mão no pau do gatinho, que fechou os olhos e encostou a cabeça no banco do carro…

Eu:_E isso aqui, tem dona?

Ele:_(Risos) As mina usam ai, véio! Tem um monte de dona!

Eu:_Nesse caso, se você tiver afim, vai ter um dono também!

Ele:_Tá afim de que, mermão?

Eu:_Tô muito afim disso que tô segurando e sentindo crescer!

Ele:_Mama minha pica então, viado! Cai de boca!

Ele disse isso e logo desabotoou a calça, cinto e pôs o pau já duro pra fora, ficando com a calça arreada até o joelho, sempre de olhos fechados. Como eu estava ainda dirigindo, só pude ficar massageando o mastro do cara, batendo uma punhetinha de leve e então resolvi parar numa rua deserta, bem discreta, escura, embaixo de umas frondosas árvores. Ali pude dar vazão ao tesão que estava sentindo, acendi a luz do carro para apreciar melhor o pau do cara. Não era tão grande, mas tinha um cabeção rosado reluzente, retinha, fartos pêlos (como eu gosto) na púbis e no saco… Inclinei-me sobre seu colo e dei uma cheiradinha pra saber se estava fedendo, afinal, bêbo mija muito e pode ficar com aquele cheirinho ruim… Mas que nada! Estava até perfumadinho. Dei uma línguadinha na cabecinha rosadinha e ele começou a ficar mais duro, cheirei e lambi seu saco peludinho e fui subindo minha língua calmamente até a cabecinha novamente, onde engoli tudo, fazendo o gatinho respirar profundamente e impulsionar seu corpo pra frente na tentativa de fazer eu engolir ainda mais seu cacete enquanto ele apenas respirava mais profundamente, parecia estar tirando um cochilo, sei lá… 

E eu ali, me saciando naquele pau de sabor delicioso, de onde escorria um liquidozinho saboroso… De repente, ele segura firme em minha cabeça, me obrigando a engolir a ponto de me engasgar com seu cacete na boca.

Ele:_Vou gozar! Vou gozar!  Rapidamente tratei de tirar minha boca daquele pau, mas não a tempo de receber uma esporrada de gala quente e pegajosa no rosto. Ele ejaculou na minha bochecha, nariz, testa, próximo ao olho e no cantinho da minha boca, que logo tratou de escorrer pra dentro. Provei daquele gostinho de maisena com clara de ovo e água sanitária, mas tinha um gostinho gostosinho, agridoce. A gala dele também pulou sobre sua barriga, formando ainda uma pocinha no umbigo lindo dele e como eu já tinha provado mesmo, tratei de deixar sua barriguinha e umbigo limpinhos. Acho que ele gostou, pois o pau não baixou de jeito nenhum.

Ele:_Tu gosta de chupar pica, né, safado? Te amarrou no meu pau, né?

Eu:_Delícia garoto!

Ele:_Quer mais? Ainda tem mais gala guardada aqui, viadinho…

Eu:_Com certeza! Mas vamos sair daqui primeiro – Levei-o para um parque próximo do local onde estávamos e como era madrugada, estava vazio e a gente poderia brincar de fazer neném tranquilamente. Logo que chegamos lá, ele se desfez de sua bermuda e cueca, ficando só de camisa no banco de trás do carro, ainda de olhos fechados.

Ele:_Tira a roupa ai e vem aqui me fazer gozar de novo, quero ver tu gozar também, pow – Me desfiz de minha roupa rapidamente, estava com meu pau totalmente duro e cu piscando. Foi um tesão ver aquele cara gato sentado no banco de trás do meu carro com aquele corpo gostoso, com o pau apontando pro teto, de olhos fechados, cabeça curvada apoiada nos dois braços. Passei para trás pelos bancos e propositalmente, encostei meu pau duraço da boca dele que logo me empurrou.

Ele:_Cai fora, pow! Vou chupar teu pau não! Num sou viado não!

Eu:_Nem eu, pow. Isso aqui é curtição de machos, tu não disse que queria me ver gozar? Então? Só uma ajudinha.

Ele:_É, eu chupo tua rola, depois tu vai querer me enrabar.

Eu:_Fica frio, cara. Só um beijinho no meu pau, tu vai ver que é maneiro, depois, eu te dou meu cu, tu me fode como quiser – Com essa, ele de olhos ainda fechados, passou a dar umas linguadas deliciosas no meu pau, passava a língua só na cabecinha, no canal da uretra então passei a dar tapinhas de pica no rosto lindo dele e aquilo parece ter atiçado ele, pois começou a me chupar gostoso, tentando imitar a chupada que eu tinha lhe dado anteriormente.

Ele:_Caralho, bicho! Eu nunca pensei que eu ia chupar pica na minha vida! Sou macho, porra!

Eu:_Por isso que tu tá me mamando! Porque tu é macho…

Ele:_Agora vai! Põe camisinha no meu pau senta nele! Tô afim de gozar já! Agora tô afim de meter em ti, cara!

Fiz o que ele mandou, pus a camisinha com a boca e sentado de frente pra ele, posicionei o pau dele na entrada do meu cuzinho, já previamente lubrificado e fui sentando devagarzinho, curtindo cada milimetro daquele cacete gostoso me invadindo. 

Deixo meu corpo cair e sinto o pau do gato todo atolado em mim, pulsando. Começo então a rebolar , subir e descer, primeiro bem lentamente, tirando suspiros dele, que mordia o beiço e contraia a testa, indicando-me que estava no caminho certo, pois ele estava curtindo aquele foda. Seguro em sua mão e a levo até meu pau, obrigando-o a me punhetar enquanto eu engulo o cacete dele com meu cu. Estava uma delícia e eu gemia, falava sacanagem na sua orelha enquanto o mordia. Até que ele se deita completamente no banco de trás, com as pernas encolhidas e procuro posicioná-lo com as pernas mais abertas e encaixo meu cu novamente, sentado de lado pra ele, apoiado no banco do motorista. Que posição deliciosa! Passei a galopar com gosto no pau do cara, rebolava, gemia, estava curtindo muito aquela foda enquanto ele de vez em quando dava uns impulsos pra frente pra tentar enfia acredito que o ovo, pois o pau já tava todo dentro de mim. Estava uma delícia sentir seus pêlos roçando minha entradinha quando eu rebolava com seu pau todo socado em mim. Estávamos suados, arfantes, seus pêlos também estavam molhados e eu pulava com gosto naquele cacete delicioso, produzindo estalos no encontro do meu cu com sua púbis.

Comecei então a sentir contrações anais, cosquinhas na portinha do meu cu, minhas pernas tremiam, senti um forte espasmo pelo meu corpo todo. Aquele cara tinha me feito ter uma gozo anal e meu pau pulava de duro, sentia um arrepio por todo meu corpo… Ele, percebendo meu prazer, me ajudou ainda, me punhetando até que não demorou, eu gozei pelo pau, aos gritos, melado todo o banco da frente, banhando minha barriga e deixando escorrer por entre minhas pernas até melecar o saco dele, ainda encostado na porta do meu anel. Aliás, na hora que gozei, contorci todo o pau dele com meu cu, mastigava com gosto mas ele ainda demorou um tempinho pra gozar e eu não me importei, pois meu tesão quando se espalha, difícil é juntar. Ainda rebolei um tempinho, pedi pra ele me comer de quatro, o que ele fez meio a contra-gosto, parecia estar sem força pra empurrar seu pau pra dentro. Deitei no banco do carro de costas e ele veio pra cima e colado ao meu corpo continuava com seus movimento, lentos, rebolando, mas tentando enfiando tudo. De repente, sinto sua respiração mais ofegante, seus movimentos de vai-e-vem mais rápidos, sua socada mais profunda, suas reboladas mais firmes e ouço no pé a orelha aquele sonoro “Ahhhhhhhhh… Caralho!!! Ahhhhhh!” Meu gatinho playboy estava gozando dentro de mim, e aquele gemido gostoso só me deu vontade de dar ainda mais pra ele, que fodia muito gostosinho.

Ele gozou e ficou deitado em cima de mim, descansando, com o pau incrivelmente ainda duro dentro. Vez em quando eu dava uma reboladinha e sentia que ele ainda estava encaixado e ereto. Depois de uns minutos de descanso, desperto o principizinho, que tirou mesmo um cochilo dentro de mim. Quando se desencaixou, fez até um estalozinho, deixando meu cu se sentindo vazio, incompleto. Nos vestimos e fui deixar ele em casa e ele morava muito bem, uma casa de dois andares, bem chique! O safado ainda me chamou pra entrar e foder em cima da cama dele mas eu tive, mesmo que a contra-gosto, que recusar, afinal me faltavam menos de 3 horas para descansar ir ao trabalho.

Mesmo assim, na sexta-feira a noite, liguei pra ele e o encontrei num barzinho muito bem movimentado aqui da cidade, frequentado principalmente por patricinhas e boyzinhos. Ele estava com dois amigo e sentei-me numa mesa próxima e assim que ele me viu, veio a mim e me convidou a sentar com ele e os amigos. Fui, né? Ele, no telefone, havia me pedido pra ser discreto, que nenhum dos amigos iria desconfiar de nada. Os amigos dele são muito bacanas, embora playboys, são simples e tem um que é um gato! Moreninho alto, corpo malhado, sorriso maroto, gostoso mesmo! Já o outro tem uma beleza meio que afeminada, muito angelical, que não me atrai, além de ser mirradinho dava um belo de um transex (sem preconceitos). 

Bom, o fato é que no final da noite, fomos relembrar a foda da noite passado na sua cama, num quarto bem reservado da casa dele e bem confortável. Dei de horrores pra ele, que meteu até mais gostoso que na noite anterior e ainda rolou beijo e uma nova chupada dele em mim. Agora preciso armar pra comer aquele carinha, que me dá maior tesão só de pensar em enfiar meu pau naquela bundinha branca, virgem e novinha. Quem sabe? Ah, ele ainda me disse que um dos amigos dele curte comer viado! Qual dos dois é minha dúvida, que ele não quis revelar. Se for o moreninho, vou investir mesmo e espero que tenham gostado e gozado! Please, comentem! 

Fim

Já viu?



24 comentários

Comente
  1. Britney Bitch

    O cara no inicio do conto tava de calça e depois nl carro na hora de tirar ele tava de bermuda? Como assim? E ainda vem dizer que foi real? Melhore!

  2. gleicy quely

    vc e gay mesmo mais o playboizinho ate que eu pegava apesar do meu namo se gostoso nuca tive essas relaçoes sexual ele e muito fofo disse que quando for na hora certa sera amo muito ele apesar de se inseguro quando e muito ciumento kkkkkkkk eu o amo


Comente! Faz muita diferença para nós