DVD gay grátis
1625577_708518659200104_2049312153_n

Se te conto KING: Meu amigo hétero me viu trepando

1625577_708518659200104_2049312153_n

Herick foi a primeira pessoa para quem eu me assumi. Ele era meu amigo há pouco mais de três anos, mas incrivelmente era a pessoa com a qual eu me sentia mais à vontade para me abrir. Primeiro ele achou que eu estivesse brincando, deu aquele sorriso lindo, penteou os cabelos pretos lisos com a mão e falou:

– Você tá me tirando, né mano?

– É sério pow, eu curto meninos também – falei.

Quando ele caiu na real, pensou por alguns segundos e depois perguntou:

– Quando você percebeu isso?

– Desde sempre.

– É estranho, pois você não dá pinta nenhuma.

Eu ri do comentário dele e fiquei feliz por ele não me julgar ou querer acabar a amizade. Depois disso, entramos num momento diferente da nossa amizade. Passamos a falar da nossa intimidade um pro outro abertamente e ele sempre se interessava em saber os detalhes da minha vida homossexual, achava divertido. E isso não queria dizer que ele tivesse vontade de experimentar. O cara era hétero até os ossos.

Na época eu estava de rolo com um cara chamado Anderson, que era negro, mais alto que eu, tinha um pauzão de 20 cm, mas que vez ou outra também gostava de ser passivo. Como sou versátil, isso não era problema. Herick gostava de ouvir quando eu falava que Anderson me chupava, que engolia meu pau inteiro e ficava babando nos meus pentelhos. Ele falava que nunca nenhuma menina tinha feito isso com ele, mas que esperava encontrar alguma que aceitasse.

A cada foda que eu tinha com Anderson, Herick era o primeiro para quem eu contava como foi.

– Cara, hoje o Anderson me levou ao delírio! – falei.

– Sério? O que ele fez? Engoliu o teu pau novamente? Heheh

– Ahh, isso ele sempre faz! Mas hoje eu estava comendo o cu dele e ele começou a rebolar no meu pau ao mesmo tempo em que contraía o cu.

– Nossa mano, e aí?

– E aí que foi osso segurar a gozada, mas consegui.

Ele devia se excitar com essas conversas, pois sempre ficava mexendo no pau e fazendo analogias com transas heterossexuais.

– Se alguma mina faz isso comigo, não sei se consigo segurar!

– Ué, você não tem permanência?

– Na primeira eu tenho que ir devagar, dando umas paradas, senão gozo rápido. Na segunda é que eu me garanto!

Herick era bem tarado. Gostava de se masturbar para as meninas na webcam e sempre me mandava os printscreen em que ele não estivesse nu. Trocávamos vídeos pornô, ele me mandava vídeos héteros e eu mandava vídeos bi. Ele via todos. Um dia ele me falou que tinha vontade de ver um show de sexo ao vivo, mas que nunca teve oportunidade. Como eu sempre tive vontade de transar com alguém vendo, fiz a proposta:

– Cara, eu sempre te conto das minhas transas com o Anderson e tals. Você meio que já sabe de tudo da nossa intimidade. Então tipo… você toparia ver a gente transando?

Ele deu uma risada e falou:

– Mano, não é bem o tipo de cena que me agradaria ver. Seria estranho.

– Você já vê mais ou menos o que a gente faz, nos filmes bi pow!

– Ahh, não sei mano.

Não insisti. Mudei de assunto, conversamos um pouco sobre bobagens, mas logo ele voltou ao assunto.

– Mas eu vou ter que participar? Não curto homem, você sabe.

– É só pra ver! Nem eu gostaria que você participasse, isso sim seria estranho!

Rimos e ele topou. Convenci o Anderson de que seria uma coisa legal, diferente e então marcamos a foda.

Entramos os três em um motel e no quarto fizemos toda a arrumação. Colocamos uma cadeira de frente para a cama e deixamos uma meia-luz no quarto inteiro. Colocamos uma musica e eu e o Anderson fomos pra cama. Ficamos deitados nos beijando, enquanto Herick observava tudo. Tirei a camisa do Anderson, lambi seus mamilos e fui descendo. Tirei a calça jeans e o meu negão estava de cueca branca. O contraste era bonito. Fiquei dando mordidinhas por cima da cueca no pau dele que já estava duro.

–  Orra, você é bem dotado mesmo! – Herick falou.

Rimos e eu coloquei pra fora aquela vara preta de cabeça bem vermelha. Olhei pro Herick e ele prestava muita atenção. Comecei a mamar. Tentava engolir o pau todo do Anderson, mas era muito grande. Fui mamando com gosto até começar a tirar gemidos do meu negão gostoso. Herick de vez em quando soltava uns “nossa mano”, mas na maior parte do tempo ficava calado. Enquanto chupava Anderson, fui tirando a minha roupa até ficar completamente nu. A sensação de que o meu melhor amigo está me vendo nu e de pau duro foi muito boa, um tesão muito grande.

Pedi pro Anderson me chupar e ele engoliu o meu pau como de costume. Herick deu um sorrisinho de quem está vendo pela primeira vez algo que já ouviu muito falar.

– Ele sabe mamar melhor do que você! – Herick falou.

– Cala a boca filho da puta, que você veio aqui só pra assistir, não precisa comentar!

Ele riu. Em alguns momentos ele inclinava o corpo pra chegar mais perto, em outros virava a cabeça para ter uma visão melhor da cena. E eu alternando entre olhar Anderson me mamando e ver as reações do Herick.

Depois de chupar meu pau, o Anderson me virou e começou a chupar o meu cu. Nesse momento um volume começou a se formar entre as pernas de Herick e ele ficou o tempo todo tentando esconder. Mas mesmo contra a vontade dele, o pau continuou a engrossar dentro da calça.

Fiquei de quatro esfregando o meu rabo na cara do Anderson e sentindo a língua dele me invadir. Fiz para provocar mesmo, já que Herick estava bem excitado. Em certo momento, falei:

– Brother, se você quiser bater uma punheta, pode bater!

Ele não fez nada. Ficou como estava, o pau querendo saltar da calça e ele tentando esconder o volume. Pedi pro Anderson me comer. Ele colocou a camisinha e lubrificou o meu cu com cuspe. Foi forçando até que sua vara preta e veiuda deslizou para dentro de mim, me fazendo soltar um gemido.

Herick ficou louco e passou a massagear o pau por cima da calça. Eu repeti, dizendo que ele podia se punhetar e dessa vez ele colocou o pau pra fora, ainda meio tímido. O pau dele era moreno, da cor da pele dele, era fino mas devia ter uns 18 cm. Ele tinha um sacão, tipo badalo, bem peludo.

Ele iniciou uma punheta bem devagar, lubrificando a cabeça do pau com o próprio cuspe. Em alguns momentos parava e o pau ficava latejando.

Enquanto isso Anderson me fodia com força. Ele gostava de tirar o pau inteiro e socar tudo de uma vez. Eu odiava isso, pois me deixava com as pernas bambas e me arrepiava o corpo inteiro.

Fiquei na posição de frango assado, com as pernas apoiadas nos ombros do Anderson, que parecia ignorar a presença do Herick. Me fodia forte e abria a minha boca para cuspir dentro. Eu olhava para Herick e seus olhos estavam vidrados, o pau duríssimo. No estado que ele estava, qualquer punhetada mais rápida faria Herick gozar.

Anderson me fodia e eu batia punheta para mim mesmo. Anderson passou a falar muita putaria, perguntando se eu estava gostando e se ia gozar com um pauzão preto enfiado no cu. Eu respondia com mais putaria ainda, dizendo que ia beber a minha porra e a dele.

Não demorou muito e anunciei que ia gozar. Olhei pra Herick e ele acelerou a punheta. Entendi na hora que o safado queria gozar junto comigo. Ia ser muito mágico eu e meu melhor amigo gozando na mesma hora. Ele levantou a camisa, deixando a barriga livre para receber leite quente.

Eu gozei gemendo muito, uma porra grossa que melou toda a minha barriga. Herick gozou logo em seguida, gemendo baixinho, num jato forte em que a porra foi parar no cabelo dele. Anderson acelerou a socada ao limite, mas não conseguiu gozar junto. Continuou esfolando o meu cu enquanto eu comia a minha porra e Herick brincava satisfeito com a dele. Incrivelmente o pau do Herick não amoleceu, mas ele o guardou dentro da calça depois de gozar.

Anderson tirou o pau do meu cu apressadamente e jogou a camisinha longe, para que pudesse gozar no meu peito. Fiquei todo melado de porra, mas feliz.

Depois dessa vez, convidei o Anderson para ver outras fodas mas ele se recusou em todos os casos. Quando perguntei o motivo ele disse que não curtia essas coisas. De repente estava com medo de começar a curtir.



11 comentários

Comente
  1. Leonardo

    não sei se é fake, mas já aconteceu comigo uma história parecida. So que eu acabei ficando com o meu amigo “hetero” uns dias depois e ele acabou se mostrando um ótimo versátil.


Comente! Faz muita diferença para nós